Sex and the City, back to 98

Este final de semana eu sabia que devia ter ficado em casa vendo Sex And The City (#girlie), e me preparando pra NY, mas não, eu insisti em sair e viver o Sex and The City, coisa que na vida real não funciona. Não tem Cosmopolitan que melhore um bar cheio de gente feia e desinteressante, e o pior…as vezes o bar não tem Cosmopolitan!

Só nós que somos mulheres entendemos essas coisas. E como creio eu, a maior parte das pessoas que lê esse blog devem ser mulheres, ou se sentir como mulheres, ou no mínimo, se interessar muito por mulheres, a maior parte de vocês entende.

Essa semana comprei o box da primeira temporada (ainda falta o da segunda. da terceira em diante eu já tenho faz tempo). Então, nesse domingo de ressaquinha pelo sábado perdido, lá fui eu assistir.

A primeira temporada é uma das minhas favoritas por que tem os melhores episódios: o que a Carrie tira fotos para a propaganda dos ônibus, com aquele vestido que parece que ela está nua, o episódio que ela conhece um modelo que dorme com ela e não rola nada (o cara mais bonito do SATC), os episódios onde ela acabou de conhecer o Mr. Big, enfim…são aqueles episódios que não tem NADA a ver com o que o SATC se tornou. Episódios que a Carrie fala olhando pra câmera, que tem depoimentos de várias pessoas como se fosse um documentário, e principalmente… apesar de Carrie sempre ter seu interesse pelo fashion e desde o primeiro episódio ela já falar de seus sapatos de U$400, nessa primeira temporada os looks eram terríveis, e socorro, nunca pensei dizer isso mas, os sapatos eram péssimos!

Era assim o mundo de 98? Eu não sei, por que eu ainda era pivetinha e nem sabia o que eram sapatos de salto alto.

Os tempos mudaram, os looks mudaram mas talvez as garotas continuem as mesmas, tomando uns Cosmos e tentando se divertir!

O mais engraçado é que nas minhas pesquisas pra achar uns hotspots em NY, misturando com Sex And The City (afinal, elas sempre frequentaram os melhores lugares de NY), achei essa reportagem em uma revista masculina chamada COMPLEX, ensinando os meninos a “pegar” uma menina SexAndTheCity! (Me chamou a atenção por que o título é “How to bag a Sex and The City Fan” ).Dê uma olhada nas diquinhas:

Every year since Sex And The City‘s 1998 debut, millions of impressionable young women have moved to New York City with dreams of being like their hero, Carrie Bradshaw. You might have seen them, frolicking around Manhattan in wildly impractical high-heels, squawking with their pack of like-minded girlfriends about men and fashion. And with the recent release of the big-screen spin-off, it’s become clear to us that these women aren’t going anywhere. So how does one seduce an attractive chick who lives in this glamorous urban fantasy world? Follow our advice and you will be having sex (wait for it) in the city.

O pior é que isso foi escrito recentemente! Na época do filme, e não na época do seriado! Olha o que eles dizem “Então, como seduzir uma garota atraente que vive nesse glamuroso conto de fadas urbano? Siga nossas dicas e você vai fazer sexo (esperamos) na cidade”.

Coisa de cromossomo X Y não é? Hahaha. E depois da introdução seguem as dicas separadas em tópicos: “Onde elas vão?, Como identificar elas? ,Como se aproximar?” e por último o simpático “Como terminar com elas?”, onde o autor do texto dá a dica pros caras “espertos” ligarem para as garotas e dizerem que estão mudando de cidade, como o Mr. Big fez com a Carrie (lembra, quando ele se mudou pra Napa?). O autor diz para os caras não se preocuparem, afinal, garotas SATC adoram isso, eles só vão estar alimentando o drama da vida delas e dando assunto pra elas conversarem com as amigas!

Tomara que esse cara morra! Solteiro!

E tem mais uma parte que eu achei interessante. Quando ele ensina os “caras” a “localizar” as garotas SATC no meio das outras, ele diz:

Look for the group of four (always four) attention starved women posted up at a visible location inside any Meatpacking District club. They will each be clutching a cosmo or martini and a precious designer handbag, dressed in a mix of casual and couture. This usually means skinny jeans with Jimmy Choo stilettos, Manolo Blahnik boots, or whatever brand the latest issue of Vogue co-signs. They will be giving off the impression that they are on a “girl’s night out,” but this is just a façade. They are always on the prowl for men who can add a new episode to their big city drama.

BONUS TIP: In the show, everyone in Carrie’s unit plays their role: the “cool” one (Carrie), the slutty one (Samantha), the prissy one (Charlotte) and the smart ugly one (Miranda). In real life, they all secretly think they’re Carrie. Stroke egos accordingly.

Olhem o que ele diz na “Dica Extra”! “A garota ‘moderna’ (Carrie), a ‘safada’ (Samatha), a prissy (deve ser algo tipo ‘certinha’)(Charlotte) e a ‘feia espertinha’ (Miranda). Na vida real, todas elas acham que são a Carrie.”

Hahaha. Essa parte que todas acham que são a Carrie é verdade, afinal, quem vai querer ser a ‘feia espertinha’? Hahaha. (essa foi de doer, coitada da Miranda).

Anúncios

2 comentários sobre “Sex and the City, back to 98

  1. […] Que lista (de uma garota) ficaria completa sem Sex and the City? E como não adorar Sex and the City? Se acha as conversas e o sexo desnecessário, foque nos sapatos! E no incrível figurino. Agora, as primeiras temporadas vão ter que ser sobre as conversas e o sexo mesmo, já que o figurino era péssimo. Lembram, até fiz um post no She is the New. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s